Baixe o aplicativo  INTERPRESS MOTOR para seu iPhone / iPad Adicionar aos favoritos Recomende a um amigo Faça deste site sua página inicial
Lançamento
Opinião
Reportagem
Galeria de fotos
Notícias
Blog do Luís Perez
Manutenção
Vídeos
Caminhões e ônibus



Papel de parede
Jogos

Shopping









REPORTAGEM
14/02/2014 - 20h40 Bookmark and Share
"UM MÊS COM..."
Volkswagen up! passa por análise de 30 dias
Testamos nesse período duas versões; a primeira é a top white up!
da Redação
Mais importante lançamento da Volkswagen desde o Fusca, o pequeno up! acaba de chegar para o teste da seção "Um mês com..." de Carpress. Por sugestão da empresa, no entanto, desta vez o teste será um pouco diferente. Em vez de o site testar uma versão por 30 dias, vamos testar pela metade desse tempo uma versão e, pelos 15 dias seguintes, outra.

A primeira a chegar é a top de linha white up!, equipada com praticamente tudo o que o carro tem direito – inclusive a central multimídia maps & more. Só para lembrar: o up! foi lançado há dez dias, já como linha 2015, em seis versões (por enquanto apenas na carroceria quatro portas.

Volkswagen up! - foto Thais Villaça

Volkswagen up! na versão white, que testaremos por 30 dias


São elas, da mais simples à mais sofisticada: take up!, move up!, high up!, black up!, red up! e white up! (estas três últimas alusivas à cor, com o mesmo nível de equipamentos). Seus preços oficiais vão de R$ 26.900 (take up! duas portas) e R$ 28.900 (take up! quatro portas) a R$ 39.390 (black up!, red up! e white up!), podendo chegar a R$ 41.260 (como a versão que testaremos nesta quinzena).

Para medir o impacto que um primeiro contato teria com nossa equipe, decidimos enviar para buscar o modelo, na Volkswagen, a repórter Thais Villaça, que não havia ido ao lançamento há dez dias, em Gramado (RS), tarefa que coube ao editor, Luís Perez. Pedimos que o leitor colabore, enviando aqui suas sugestões de tarefas a cumprir a fim de melhor testar o modelo. A seguir você confere o dia a dia com o modelo.

 

29º dia – 14/3/2014
Recomendadíssimo

por Luís Perez

Chega ao fim o teste de "Um mês com..." o up!. Mas ele não acaba quando termina. Estamos recebendo da Volkswagen uma unidade de um take up!, a versão mais básica do modelo, para avaliação. Ao final deste período, o carro se mostra recomendadíssimo (este repórter pensa seriamente em adquirir um). Pode até ser pequeno, mas na medida para casais com até dois filhos. É bom de reparo, de segurança, além de supermoderninho. Vale a pena pensar seriamente em comprar um.

 

Volkswagen up! - foto Divulgação

O segundo modelo que testamos era um red up!

 

28º dia – 13/3/2014
11,09 km/l, em ciclo cidade e estrada

por Luís Perez

Chegou o dia de medir o consumo do segundo up!, um red up!. Rodamos desta vez não só na cidade, mas também na estrada. Foram 248 quilômetros, que requereram 22,36 litros de gasolina para completar o tanque. Resultado: 11,09 km/l, bem melhor do que a marca anterior, mas ainda aquém do que o carro é capaz de produzir, uma vez que ainda havia etanol residual no tanque. Para atingir um bom consumo, é essencial não acelerar nem frear sem necessidade e de preferência seguir as sugestões de trocas de marcha que o carro traz no painel.

27º dia – 12/3/2014
Soluções de segurança

por Luís Perez

Vale a pena fuçar os manuais do proprietário. Nele se descobrem boas soluções que o automóvel tem. No caso do up!, além da indefectível trava de segurança para crianças na porta traseira (que deve ser acionada com a chave do veículo), há a oportunidade de fazer o destravamento emergencial da tampa traseira pelo interior do carro. Basta rebater o encosto traseiro e inerir a haste da chave na abertura da parte interna da tampa, pressionando a alavanca para a esquerda.

26º dia – 11/3/2014

ABS e airbag salvadores

por Luís Perez

Apesar de os dados do computador de bordo serem muito confiáveis, só vamos ver se o novo up! cravou um consumo menor do que o anterior após esvaziarmos o tanque. Essa tarefa deve ocorrer já amanhã!

Enquanto isso, uma rápida reflexão sobre segurança. Até o ano passado, um carro pequeno não tinha de sair de fábrica necessariamente com airbag e ABS. Obviamente a versão red up! provavelmente teria esses itens.

Mas mesmo quem compra o take up! mais pelado tem direito a eles. E o ABS nos safa, no dia a dia, de grandes apuros ao evitar o travamento das rodas, sobretudo em dias de chuva.


25º dia – 10/3/2014
Bebendo com moderação: 17,3 km/l

por Luís Perez

Pego a estrada. Bandeirantes, rumo a um evento de trabalho em Campinas. Aí sim o up! começa mostrar que bebe com moderação. O computador de bordo chega a marcar 17 quilômetros com um litro de combustível.

Por coincidência, estava em Campinas quando recebo um telefonema do pessoal que cuida da frota da Volkswagen. Eles avisam que tanto o up! anterior quanto o atual deve ter uma certa quantidade de etanol no tanque.

Volkswagen up! - foto Luís Perez

Computador de bordo marca 17,3 km/l; pegamos estrada

A coisa funciona assim: a fábrica completa com gasolina. Mas, se o jornalista que pegou o carro antes abasteceu com etanol (o que é muito provável, porque é mais barato), vai ficar um “rabo de galo” no tanque. Para atingir o consumo preconizado, só um teste em laboratório.

24º dia – 9/3/2014
Sem milagres

por Luís Perez

Virou ponto de honra, agora com o red up!, fazer um consumo mais próximo do divulgado pela fábrica. É perceptível que o carrinho tem tudo para ser econômico, mas o consumo da primeira unidade ficou aquém do esperado. E este não parece melhor. Pelo visto, na cidade nem ele faz milagre – o computador de bordo ainda marca coisa de 8 km/l.

23º dia – 8/3/2014
Manobrista analista

por Thais Villaça

Fui ao aniversário de uma amiga no sábado à noite em um restaurante paulistano a bordo do up!. Ao deixar o carro com o manobrista, seguiu-se o diálogo:
- Moça, esse é o carrinho novo da Volkswagen que vai ficar no lugar do Gol, né?
- Sim e não. É o up!, que a Volks lançou recentemente, mas ele não substitui o Gol, que continua em linha. Este passa a ser o carro de entrada da marca.
- Ah, entendi. Ele é menorzinho, né? Mas achei que fosse mais caro que o Gol.
- Dependendo da versão, se for completinho, pode ficar mais caro, sim.
- Bom, se eu fosse comprar um carro “mil”, escolheria este, que é mais moderninho, bonito. E ninguém tem ainda, esse é o primeiro que eu pego. Vão deixar de vender muito Gol com o lançamento deste aqui. Vai ter outro motor, câmbio automático?
- Não, nada previsto.
- Porque se tivesse, aí sim ia estourar de vender... Mas entra lá, dona, não quero te atrasar. Na saída a gente fala mais.
Manobristas fazendo análise de mercado. Adoro pessoas que se envolvem com o trabalho!


22º dia – 7/3/2014

Leitor ensina a destravar o maps&more

por Luís Perez

Trocamos o white up! por um red up! e podíamos jurar que o problema de travamento na central multimídia maps&more era algo isolado. Não é. O defeito tem ocorrido com outras publicações que testam o up! e até mesmo com compradores do modelo.

Curioso é que já houve leitor escrevendo para Carpress sugerindo soluções para o problema. Um deles, que se identifica apenas como Luiz, de Santa Catarina, comprou o modelo e no início sofreu com o travamento da central multimídia. Mas ele descobriu uma forma de destravar o sistema e nos descreveu um passo a passo, que reproduzimos a seguir:

1) Desencaixe o aparelho da base.

2) Ele dará um aviso de que vai entrar em stand-by em 30 segundos, com duas opções – "OK" e "Cancelar".

3) Antes que se esgotem os 30 segundos, tocar na opção "Cancelar".

4) Ao pressionar o botão de desligar, ele vai avisar que entra em stand-by em cinco segundos e, abaixo, há duas opções, "Stand-by" e "Desligar".

5) Antes que se esgotem os cinco segundos, tocar em "Desligar". O aparelho vai desligar imediatamente.

6) Encaixe então o maps&more novamente no painel do carro. Ele vai religar e passará a funcionar normalmente.

Testamos – e funciona. Voltou e não travou mais, por enquanto.

O equipamento também tem, em sua parte inferior, o botão "Reset", mas que só pode ser acionado com um objeto pontiagudo (a ponta de um clipe, por exemplo). Não testamos, pois não tínhamos o clipe à mão quando travou.


21º dia – 6/3/2014

Ré na hora errada

por Luís Perez

Para engatar a marcha à ré no up!, basta pressionar a alavanca do câmbio e fazer um leve movimento em “L” para a frente. Ao longo do teste com o veículo, aconteceu três vezes: em uma subida íngreme (em que o carro passa com louvor, aliás), a tentativa de engatar a primeira marcha quase provocou por engano o engate da ré.

Parece curioso, mas bastou pressionar minimamente a alavanca com um pouco mais de vontade para o câmbio "arranhar" e a gente entender que quase foi feito o movimento de engate à ré. Não sei se haveria consequências maiores se o engate fosse completado, nem se o sistema vetaria a ação. Preferimos não pagar para ver.

Volkswagen up! - foto Luís Perez

Volkswagen up! - foto Thais Villaça

white up! (no alto) se despede e entra em cena o red up! (acima)

O white up! se despede da gente aqui. Conforme combinado, vamos testar duas unidades. A que fomos buscar na fábrica da Volkswagen em São Bernardo do Campo (SP) é uma red up!, também top de linha, com bancos de couro.

Continua seguindo nosso teste!


20º dia – 5/3/2014

6,87 km/l de gasolina

por Luís Perez

É chegada a hora de medir o consumo do primeiro up! testado. Só rodamos na cidade, o que torna compreensível um consumo relativamente elevado. Com o tanque, rodamos 323 quilômetros. Abastecemos 47,02 litros. O resultado é um consumo de 6,87 km/l de gasolina, marca ainda mais elevada do que a do computador de bordo oito dias atrás.

Volkswagen up! - foto Luís Perez

O up! no posto de combustível; tanque tem 50 litros


Vale lembrar que os números de consumo declarados conforme portaria do Inmetro indicam que, quando abastecido com etanol, o modelo roda até 9,1 km/l na cidade e 9,9 km/l na estrada. Com gasolina no tanque, o up! é capaz de percorrer 13,2 km/l na cidade e 14,3 km/l na estrada.

Vamos repetir o teste com a próxima unidade do up! que chegará para teste já nesta quinta (6).

PS - Minha opinião pessoal é de que a Volkswagen se enganou ao afirmar que o up! foi abastecido com gasolina. O combustível usado deve ter sido etanol, pois o consumo está alto demais para o tipo de motor e a característica do modelo. E não houve problema na medição, uma vez que as indicações do computador de bordo foram muito próximas do resultado final. Estamos no aguardo de uma reposta da Volkswagen, mas vale o registro.


19º dia – 4/3/2014

Porta-tudo

por Luís Perez

Foi-se o tempo em que um carro pequeno era vendido sem a tampa do porta-luvas para economizar. O up! traz a tal tampa, seu porta-luvas tem 6,2 litros, bem como uma série de porta-objetos de que o consumidor tanto gosta. Há no console central, nichos e suportes para garrafas de até de 1,5 litro nas duas portas dianteiras, dois cabides na coluna central e quatro ganchos para sacolas e piso variável – sistema s.a.v.e – no porta-malas (a partir da versão move up!). São no total 20 porta-objetos.

18º dia – 3/3/2014
Fogo irmão

por Luís Perez

Saíram os números de venda de fevereiro. Ao que tudo indica, o up! será mesmo um queridinho para a Volkswagen. Em um mês curto e que não foi cheio para as vendas, pois o carro ainda está chegando às concessionárias, 2.115 unidades do up! ganharam as ruas.

Mas seu sucesso trouxe um efeito colateral, que foi canibalizar boa parte das vendas do próprio Gol. O modelo, que é o mais vendido do mercado brasileiro há 27 anos, registrou 14.077 unidades emplacadas, bem distante do patamar superior a 20 mil carros mensais costumeiros (só em janeiro foram 21.671).

17º dia – 2/3/2014
maps&more travou de novo

por Luís Perez

Ih, estava bom demais para ser verdade. O maps&more travou comigo também. Não adiantou resetar, ligar e desligar, nada. Ele simplesmente não obedece aos comandos do touch. Quando se pressiona o botão de desligar, ele até desliga. Mas depois volta à tela inicial. Vamos reportar o problema à Volkswagen. Desde o defeito anterior, passaram-se quase duas semanas.


Vídeo mostra travamento do sistema



16º dia – 1º/3/2014

"One shape"

por Luís Perez

Uma das características que chamam a atenção no up! é o conceito "one shape" dos bancos dianteiros. Ou seja, encosto de cabeça é integrado à estrutura do banco (e não à parte).

A ergonomia é muito boa, favorecendo para tal resultado os ajustes de altura para o banco do motorista (milimétrico) e para a coluna de direção. Há ainda apoio para o pé esquerdo do motorista, o que é um prenúncio de que o modelo foi pensado para receber câmbio automatizado.

Os encostos de cabeça traseiros são em formato de “L”, o que faz com que baixem bem, não atrapalhando a visão do motorista pelo retrovisor.



15º dia – 28/2/2014
Mais de uma quinzena

por Luís Perez

Chega ao final a primeira quinzena com o up! e o balanço da avaliação da versão top white up! é bastante positivo. Havíamos combinado com a Volkswagen de trocar o carro agora, mas, ao que tudo indica, o caos da sexta-feira de Carnaval não vai deixar. Vai tudo ficar para quarta ou quinta-feira da próxima semana – o que é bom, pois o tanque de combustível não chegou ao fim.

14º dia – 27/2/2014
Bluetooth para dois

por Luís Perez

O que faz este humilde repórter querer ser dono de um up! na vida real é, além das modernidades do projeto, o fato de ele oferecer mimo que nem carrões têm, caso da possibilidade de pareamento de dois aparelhos de celular no Bluetooth. É a primeira vez que vejo isso.

Aliás, o pareamento para streaming de áudio também é bastante intuitivo e o som, muito bom. Ah, outra comodidade do maps&more: quando não está em uso, pode ser removido e utilizado como lanterna (toda a sua tela se acende) ou bloco de notas portátil.

13º dia – 26/2/2014
Fácil de reparar

por Luís Perez

Quando dizemos que o up! é moderno, não é só no fator segurança (que significa muito mais do que ter mais lata para amassar...). O carro também vai bem de reparabilidade, o que diminui os custos em caso de batida e, de tabela, barateia também o seguro.

O up! alcançou índice 11 no CAR Group do Cesvi Brasil (Centro de Experimentação e Segurança Viária). Esse ranking avalia o custo e o tempo de reparo dos veículos vendidos no Brasil após uma batida. É o melhor índice já alcançado entre todos os participantes do estudo.

Para avaliar esse índice, a entidade realiza testes de impacto de baixa velocidade (a 15 km/h), com off-set de 40% na dianteira esquerda contra uma barreira rígida a um ângulo de 10°. As mesmas condições são aplicadas para o impacto da traseira direita, de acordo com a Norma Internacional do RCAR (Research Council for Automobile Repairs).

Após cada impacto, é estudada a extensão dos danos e a facilidade do reparo. É feito um cálculo que considera os custos da reparação dianteira e traseira, os tempos de substituição e a cesta básica de peças, gerando assim o índice.

12º dia – 25/2/2014
O computador de bordo marca 8 km/l

por Luís Perez

Um dos diferenciais do up!, segundo a Volkswagen, é a economia de combustível. Os números de consumo declarados conforme portaria do Inmetro indicam que, quando abastecido com etanol, o modelo roda até 9,1 km/l na cidade e 9,9 km/l na estrada. Com gasolina no tanque, o up! é capaz de percorrer 13,2 km/l na cidade e 14,3 km/l na estrada.

Volkswagen up! - foto Luís Perez

Computador de bordo indica 8 km/l


Nosso carro foi abastecido pela fábrica com gasolina. E está certo que estamos rodando só na estrada, pisando sem dó (sem preocupação de economizar, usando como se usa no dia a dia). Por enquanto, o computador de bordo está marcando 8 km/l, um consumo bem mais elevado do que o divulgado. Mas vamos aguardar os resultados do primeiro tanque, nos próximos dias...

 

11º dia – 24/2/2014
maps&more funcionando normalmente

por Luís Perez

Logo no quarto dia, o up! apresentou um probleminha no maps&more, com a repórter Thais Villaça. O sistema travava e ficava inoperante, mesmo após ligar e desligar seguidas vezes.

Preocupada, a Volkswagen chegou a nos procurar, para se colocar à disposição para verificar o que estava acontecendo. No entanto, logo que peguei o carro esse defeito não apareceu mais.

Volkswagen up! - foto Luís Perez

maps&more indica distância de obstáculo atrás


Navegador, multimídia e tudo mais estão funcionando normalmente. Vale ressaltar que o maps&more não é só um navegador ou uma central multimídia. Ele está interligado ao veículo, interagindo com o sistema de som e o computador de bordo, sendo que uma de suas funções é ajudar o motorista a dirigir de forma econômica.

Problema é que não é fácil, sobretudo no tráfego urbano, prestar atenção na tela (ou mesmo no mostrador logo à frente, no painel, que indica as mudanças de marcha ideais) e ao mesmo tempo no trânsito. É preciso desviar o olhar, o que não é muito recomendável. Quem sabe um dia o up! não adota um head-up display...


10º dia – 23/2/2014
Shhhhhh

por Luís Perez

Nosso teste chega a um terço e andamos praticamente o tempo todo na cidade a bordo do up!. Um dos pontos que mais chamam a atenção no modelo, sobretudo levando-se em conta sua categoria, é o baixo nível de ruído, mesmo nas reduções de marcha ou quando o motor é mais exigido (subidas, por exemplo).

Carros pequenos com motor 1.0 costumam “gritar” quando são submetidos a um esforço maior. Não é o caso do up!. Esse resultado pode ser atribuído basicamente a dois fatores: o moderno motor de três cilindros do veículo (que usa materiais leves em sua composição) e o competente isolamento acústico da cabine.

9º dia – 22/2/2014
Compartimento de bagagem

por Luís Perez

No teste do supermercado, o up! passa com desenvoltura. Versão top de linha, o up! que estamos testando traz o sistema “s.a.v.e.” de ajuste variável do porta-malas. Mais uma vez fomos abordados por um curioso, que observou, ao ver o espaço para bagagens: “Nossa, porta-malas pequeno, não!?”.

O que ele não sabia era que, sob uma tampa leve e facilmente removível (tem uma alça especialmente para isso), era possível acomodar ainda mais itens. Para transportar as compras, vale colocar itens mais frágeis na parte de baixo e os demais em cima.

Volkswagen up! - foto Divulgação

Compartimento "secreto" do up!


Esse compartimento pode servir ainda para acondicionar itens mais valiosos (um laptop ou tablet, por exemplo), que você não deseja que fique à mostra de todos quando se abre a tampa. No total, o porta-malas do up! brasileiro tem a mesma capacidade que o do Gol (285 litros).

8º dia – 21/2/2014
Barato, não

por Luís Perez

Sim, o up! continua motivando contorcionismos nas ruas. Curiosos chegam a nos abordar em diferentes locais – restaurantes, supermercados e até na rua mesmo. “E aí, o carro é bom? É barato?” é a pergunta mais frequente. Respondo que o carro é ótimo, espertíssimo, mas que não chega a ser barato.

Para ficar equipado com um mínimo que o consumidor deseja, o modelo já tem o preço elevado para algo entre R$ 34 mil e R$ 35 mil, valor que já torna possível sonhar com um carro um pouco maior. Pesam a favor da decisão a confiabilidade da Volkswagen, bem como a segurança de adquirir um veículo com garantia total de fábrica de três anos – ou seja, com garantia de que não terá dores de cabeça.

7º dia – 20/2/2014

Mais segurança

por Luís Perez

Diante da consumidora que se arrependeu de ter comprado um Hyundai HB20 em vez de esperar pelo up!, foi criada a polêmica. Afinal, qual dos dois? O HB20 não é mais carro do que o up!? A resposta é: depende. O up! mexe com o imaginário do consumidor tradicional, que tem a ideia de que carro pequeno é carro pelado, o que não é verdade.

O up! é mais moderno do que seus congêneres. De qualquer forma, se o comprador for levar em consideração o fator segurança, vale lembrar que, no teste do Latin NCAP, o modelo da Volkswagen foi muito melhor. Na proteção de adultos, levou cinco estrelas das cinco possíveis (o HB20 ficou com três). Na de crianças, ficou com quatro das cinco possíveis (o HB20 teve só uma).

Ou seja, o up! é um modelo mais adequado para quem pensa na segurança sua e de sua família.


6º dia – 19/2/2014

Sem aperto

por Luís Perez

Meu vizinho de vaga na garagem tem um Honda Fit. Coitado, sua vaga fica encostada na parede. Certa vez, sem que isso tivesse sido minha culpa (a vilã da história foi a vaga apertada...) ele me contou, até com uma dose de bom humor, que foi obrigado a entrar em seu carro pelo porta-malas.

Com 3,61 metros de comprimento, 1,65 m de largura (1,91 m incluindo os retrovisores) e 1,50 m de altura, o up! não passa aperto, como é possível comprovar pela foto deste post. Outros carros que foram parados nessa mesma vaga simplesmente obrigavam o motorista a se espremer para sair.

Volkswagen up! - foto Luís Perez

Vaga de garagem fica até grande para o up!

Com o up!, que ficou maior na versão brasileira – cresceu 6,5 centímetros no comprimento, o porta-malas passou de 221 para 285 litros e o tanque, de 35 para 50 litros –, é possível acomodar cinco pessoas. Três adultos atrás ficam um pouco apertados, sobretudo se for para viajar, mas cabem; seu entre-eixos é de 2,42 m.

5º dia – 18/2/2014
Motor faz bonito em ladeira íngreme

por Luís Perez

Enfim a repórter Thais Villaça largou o osso, ou melhor, o up!. O carro chegou até mim para realizar pequenas tarefas do dia a dia, como fazer compras e levar a filha à escola. Costumo transitar em bairros com ruas bem íngremes.

Uma dessas ruas é a Iperó, na Vila Madalena (zona oeste de São Paulo). A subida entre as ruas João Moura e Rodésia é bem desafiadora – a ponto de alguns carros simplesmente pararem para engatar primeira marcha e pisar fundo para subir ou mesmo, em dias de chuva, patinarem perigosamente.

Nosso up! surpreendeu. O carro, que tem um moderno motor 1.0 de três cilindros de 75 cv a 82 cv (com gasolina e etanol, respectivamente) simplesmente subiu essa ladeira sem ratear, em segunda marcha, quase pedindo terceira.

Sim, porque o motorista tem um aviso de troca de marcha no painel para que ela seja feita da forma mais econômica possível. Ou seja, parece que o tempo do 1.0 manco ficou definitivamente para trás.

4º dia – 17/2/2014
Multimídia travando


por Thais Villaça

Nem tudo são flores na avaliação do up!. O sistema multimídia só funcionou ao sair da Volkswagen, quando pude utilizar o GPS e consegui parear meu telefone via Bluetooth. Depois o equipamento ficou permanentemente travado, não deu nem para explorar as outras funções.

Apesar de o sistema viva-voz funcionar quando eu recebia uma chamada, não conseguia acessar as informações do meu telefone pela tela. Mesmo retirando o aparelho da base, o sistema travava logo quando reiniciado.

Volkswagen up! - foto Divulgação

O sistema maps & more do up!

Claro que pode ser apenas um defeito da unidade testada, mas é bom ficar de olho. Enfim, não consegui explorar com mais afinco todas as funcionalidades que o sistema oferece.

3º dia – 16/2/2014
Torcicolo

por Thais Villaça

Uma das coisas de que mais gosto sendo jornalista automotiva é sair com carros que ainda não estão nas ruas (o up! já está nas lojas, mas ainda mal começou a ser entregue aos compradores) e observar a reação das pessoas.

Até pensei que o up! não chamaria tanto a atenção por ser branco – diferentemente de quando peguei o Fiat Uno pela primeira vez, que além de ser novidade, era aquele amarelo marca-texto, então não tinha quem não o visse de longe –, mas o carrinho que não passa despercebido.

Volkswagen up! - foto Divulgação

up! chama muito a atenção nas ruas

Muitas pessoas torceram o pescoço para olhá-lo melhor, especialmente quando passei por grandes avenidas como Paulista e Rebouças. Motoqueiros e outros motoristas também observaram o modelo com curiosidade, muitas vezes até dando passagem para ver os detalhes da traseira.

Em duas ocasiões, cheguei a ser abordada  por desconhecidos: "É o lançamento da Volks, né? Uma belezinha!". Se depender da reação nas ruas, o up! vai fazer sucesso.

2º dia – 15/2/2014

Opinião de mãe


por Thais Villaça

Pedi à minha mãe, que preza mais por carros novos que por modelos cheios de tecnologia (já que ela não sabe nem ligar o aparelho de DVD...), dizer o que achava do up!. O que primeiro lhe saltou aos olhos foi o design "fofinho".

Mas, além da beleza, suas impressões foram de que o carrinho é prático, ágil e tem suspensão macia, que absorve bem os impactos. Claro que ela também adorou o banco mais alto (não disse que a mulherada adora essa característica?).

Volkswagen up! - foto Thais Villaça

up!: fofinho e com posição elevada de dirigir

Outros destaques foram o bom espaço interno, apesar de suas dimensões compactas, e o acabamento simples, mas harmonioso.

Ela, que comprou um Hyundai HB20 há cerca de um mês, demonstrou até uma pontinha de arrependimento por não ter esperado um pouco mais para ter comprado o up!. "Gosto bastante do meu, mas se pudesse, trocaria. Além disso, sempre gostei da Volkswagen, tenho mais segurança com a marca", diz.

 

1º dia – 14/2/2014
Uma agradável surpresa


por Thais Villaça


Quando o up! estreou como conceito, no Salão de Frankfurt (Alemanha), em 2011, achei uma gracinha. Mas pensei que demoraria até que o modelo virasse carro de produção e chegasse ao Brasil. Menos de três anos depois, eis que o vejo em minha frente pela primeira vez – apesar de o lançamento de imprensa ter acontecido há dez dias, não participei.

Pouquíssimas coisas mudaram no design desde a apresentação do protótipo, então continuo achando o carrinho bem bacana, com visual moderninho que, apesar de claramente identificado com um Volks, não tem a mesma cara do restante da linha. Além de bonitinho, ele é espertinho também. Leve e equipado com motor 1.0 de três cilindros apresentado no Fox BlueMotion, tem um ronco gostoso quando se pisa no acelerador com mais entusiasmo.

Volkswagen up! - foto Thais Villaça


Volkswagen up! - foto Thais Villaça

Versão é a mais completa, inclusive com o maps & more


Sua agilidade só arrefece ligeiramente em retomadas e trechos íngremes, mas nada diferente de outros 1.0 do mercado. O acabamento é simples, mas bem feito e a posição de dirigir altinha deve agradar ao público feminino (eu particularmente prefiro bancos mais baixos). O único inconveniente é o cinto de segurança sem regulagem de altura, que incomoda no pescoço. Independentemente disso, o carrinho é uma boa surpresa.


voltar
Carpress | Shopping | Expediente
© 2006-2014 Carpress - Todos os direitos reservados
É proibida a reprodução de conteúdo deste site em qualquer meio
de comunicação, impresso ou eletrônico, sem autorização por escrito
Desenvolvido por AD&R Web