Baixe o aplicativo  INTERPRESS MOTOR para seu iPhone / iPad Adicionar aos favoritos Recomende a um amigo Faça deste site sua página inicial
Lançamento
Opinião
Reportagem
Galeria de fotos
Notícias
Blog do Luís Perez
Manutenção
Vídeos
Caminhões e ônibus



Papel de parede
Jogos

Shopping









LANÇAMENTO
03/04/2009 - 21h16 Bookmark and Share
AVALIAÇÃO
Repórter realiza sonho de dirigir o smart fortwo
Modelo chega ao país por R$ 57.900 na versão coupé e R$ 64.900 na cabriolet
por THAIS VILLAÇA

Um dos modelos mais aguardados do ano, o smart fortwo, começa a ser vendido no país a partir da próxima semana. Com importação anunciada durante o Salão de São Paulo, em outubro de 2008, o charmoso carrinho da marca que pertence à Mercedes-Benz chega ao Brasil após mais de dez anos de seu lançamento, em 1998, em duas versões: coupé, por R$ 57.900, e cabriolet, por R$ 64.900.

Segundo a Philipp Shiemer, vice-presidente de vendas da Mercedes, foi feita uma análise de mercado para descobrir o momento certo de trazer o fortwo ao país. E esse momento seria em plena crise? "Não podemos parar. Crise combatemos com bons produtos. No ano passado, por exemplo, no ápice da crise, as vendas aumentaram 39% em todo mundo. Só nos EUA, onde o modelo foi lançado no ano passado, comercializamos 25 mil unidades", afirma.

Eu era uma das pessoas que estavam ansiosas para dirigir o modelo para dois ocupantes, pois me apaixonei à primeira vista quando visitei a Europa pela primeira vez. Guiá-lo por aqui era um sonho. Sempre que encontrava uma versão diferente, lá ia eu tirar uma foto ao lado do carrinho. Torcia muito para que o modelo viesse para o Brasil, pois morria de vontade de ter um. Por isso essa ansiedade tão grande: será que o smart fortwo atenderia às minhas expectativas ou deixaria a desejar?

smart fortwo - foto Divulgação
O smart fortwo, que começa a ser vendido na próxima semana

Galeria de fotos Confira mais imagens na galeria.

Ao entrar no carro, o primeiro incômodo: tentei colocar o banco mais para a frente, mas não consegui, pois o limite é mais curto do que a posição que costumo dirigir. Tudo bem que gosto de sentar próxima ao volante, mas pensei que, se eu fosse alguns centímetros mais baixa (tenho 1,64 metro), teria dificuldade para pressionar o pedal do acelerador, pelo menos em uma posição confortável. E quem é mais alto do que os padrões, acima de 1,80 m, também deve encontrar problemas para se ajeitar em um espaço tão condensado, uma vez que o banco também não desliza muito para trás.

Durante o test-drive, o carrinho se mostrou ágil e gostoso de dirigir. Mesmo dotado de motor 1.0, que gera respeitáveis 84 cv (cavalos) a 5.250 rpm de potência máxima e torque (força) de 12,2 kgfm a 3.250 rpm (compatível com um Peugeot 207 1.4, que é bem mais pesado), sua grande vantagem é o porte compacto, com dimensões de 2,70 m de comprimento, 1,56 m de largura, 1,54 m de altura e apenas 770 kg (800 kg na versão cabriolet).

O desempenho, segundo dados da fabricante, é bastante interessante, principalmente se o carro for usado primordialmente na cidade. A velocidade máxima chega a 145 km/h (limitada eletronicamente) – mas conseguimos chegar aos 150 km/h no percurso rodoviário do test-drive – e a aceleração de 0 a 100 km/h é feita em 10,9 segundos. O consumo também é um dado animador. Em ciclo combinado (estrada e cidade), o carro roda 20,4 km/l.

smart fortwo - foto Divulgação
Consumo combinado do modelo ultrapassa os 20 km por litro

Mas o câmbio automatizado com sistema Softouch de cinco velocidades é um dos aspectos que decepcionam. A melhor definição que ouvi para esse tipo de transmissão é que ela é como um pato, que não anda bem e não nada direito. O mesmo acontece com o câmbio automatizado, pois na configuração para trocas manuais (que podem ser feitas por borboletas atrás do volante), cada mudança de marcha vem acompanhada de um tranco incômodo. Se a escolha para as trocas for totalmente automática, os solavancos atenuam-se, mas ainda estão lá. Pelo tipo de público que a marca pretende atingir, seria melhor optar pela transmissão automática tradicional.

Outro aspecto que causa estranheza no carrinho é o pedal de freio. Diferentemente dos modelos tradicionais, o pedal do fortwo sai diretamente do assoalho do veículo. Por isso, é preciso um pouco de tempo para se acostumar com o ponto da frenagem. Além disso, o motorista perde o apoio do calcanhar ao pressionar o pedal, o que em percursos com trânsito carregado (o famoso anda-e-para) pode ser um pouco cansativo.

Apenas uma versão de acabamento, a top de linha Passion, estará disponível para o mercado brasileiro (em outros mercados são três versões). A lista de equipamentos de série inclui quatro airbags, ar-condicionado, toca-CDs com função MP3, tensionadores de cintos e limitadores de força e freios com os sistemas ABS (antitravamento), ESP (controle de estabilidade), EBD (distribuição eletrônica da força da frenagem), ASR (controle de tração), BAS (assistência eletrônica de frenagem) e Hill Start (assistência de arrancada em subidas).

smart fortwo - foto Divulgação
Interior do fortwo, que vem equipado com câmbio automatizado

A preocupação com a segurança também se mostra na construção do veículo, pois é produzido em forma de célula de segurança tridion, que protege os ocupantes como uma carcaça dura em volta de uma noz por ser reforçada em pontos estrategicamente importantes com aço de alta resistência. O modelo atende às exigências dos regulamentos europeus EuroNCAP e de impacto dos EUA.

Um dos principais charmes do carrinho é o teto panorâmico de policarbonato no coupé e a capota elétrica do cabriolet, que pode ser ajustada em qualquer posição e não precisa ser acionada apenas com o carro parado. Além disso, as barras laterais podem ser retiradas manualmente e guardadas em um compartimento especial na tampa traseira do porta-malas.

Algumas falhas pontuais não diminuem o prazer de estar a bordo de um veículo tão gracioso, que chama a atenção por onde passa. Especialmente na versão cabriolet, quando rodamos sem a capota. Quem adquirir um tem de gostar de ser observado, porque os pescoços torcem nas ruas para vê-lo passar.

Dirigindo em plena avenida Europa, onde se concentram as mais caras e exclusivas revendas de automóveis de São Paulo, fiz mais sucesso com fortwo que qualquer Ferrari, Lamborghini ou Porsche que costumam dar pinta por ali. Após a avaliação, ainda teria o meu.

FICHA TÉCNICA
smart fortwo coupé/cabriolet

Motor: traseiro, transversal, três cilindros em linha com quatro válvulas por cilindro, a gasolina, 998 cm³ de cilindrada

Potência: 84 cv a 5.250 rpm

Torque: 12,2 kgfm a 3.250 rpm

Direção: elétrica
Câmbio: automatizada de cinco velocidades com sistema Softouch
Suspensão: dianteira independente McPherson, com molas helicoidais, amortecedores e barra estabilizadora; traseira com eixo de torção, molas helicoidais e amortecedores

Freios: a disco na dianteira e a tambor na traseira com os sistemas ABS (antitravamento), ESP (controle de estabilidade), EBD (distribuição eletrônica da força da frenagem), ASR (controle de tração), BAS (assistência eletrônica de frenagem) e Hill Start (assistência de arrancada em subidas)

Dimensões: 2,70 m de comprimento; 1,56 m de largura; 1,54 m de altura; 1,86 m de entreeixos

Peso: 770 kg (coupé) e 800 kg (cabrio)
Tanque: 38 litros
Porta-malas: 220 litros e 340 litros
Preços: R$ 57.900 (coupé) e R$ 64.900 (cabrio)


voltar
Carpress | Shopping | Expediente
© 2006-2014 Carpress - Todos os direitos reservados
É proibida a reprodução de conteúdo deste site em qualquer meio
de comunicação, impresso ou eletrônico, sem autorização por escrito
Desenvolvido por AD&R Web