Baixe o aplicativo  INTERPRESS MOTOR para seu iPhone / iPad Adicionar aos favoritos Recomende a um amigo Faça deste site sua página inicial
Lançamento
Opinião
Reportagem
Galeria de fotos
Notícias
Blog do Luís Perez
Manutenção
Vídeos
Caminhões e ônibus



Papel de parede
Jogos

Shopping









LANÇAMENTO
28/11/2008 - 13h04 Bookmark and Share
AVALIAÇÃO
Audi A5 contraria vocação de "segundo carro"
Montadora também apresenta A3 2009 reestilizado e Q7 com motor V6
por ALBERTO POLO JÚNIOR, enviado especial a Campinas (SP)

Não que soe de forma depreciativa, mas confesso que sempre considerei os modelos da Audi como Volkswagen "de butique". Isso porque as duas marcas, pertencentes ao mesmo grupo, compartilham a base mecânica em muitos de seus modelos, que acabavam tendo comportamento dinâmico parecido, à exceção do TT e da esportiva linha RS. Quem já dirigiu um A3 e um Golf sabe o que quero dizer. A diferença estava no design e nos equipamentos.

Com a terceira geração do A4, lançada em setembro do ano passado na Europa e um ano depois no Brasil, a fabricante alemã começou a mudar esse conceito. Apesar de usar os mesmos motores dos VW, ganhou uma plataforma inédita e mais voltada para a esportividade, de olho em rivais como BMW Série 3 e Mercedes-Benz Classe C, que sempre tiveram tal enfoque. Com isso, sua dirigibilidade ficou ainda melhor, sem deixar de lado o conforto.

Audi A5 - foto André Larangeira - Divulgação

Audi A5 - foto André Larangeira - Divulgação
O A5 mantém a identidade Audi, porém com mais esportividade

No A5, que pode ser considerado sua versão cupê, esse caráter fica ainda mais evidente. O modelo acaba de chegar ao Brasil para ser o "segundo carro" dos clientes da marca, aquele que se compra com emoção e não com razão. Tanto é que será vendido em versão única, com motor 3.2 V6 (seis cilindros, em "V") e tem preço inicial de R$ 254.500. A Audi pretende vender cerca de cem unidades do A5 por ano no Brasil e mira também os compradores dos BMW Série 3 Coupé e Série 6.

Se o A4 recebeu traços mais contundentes, o A5 foi além. Walter de Silva, ex-chefe de design da Audi e atualmente no comando da mesma área na Volkswagen, afirma ser o carro mais bonito já desenhado por ele. Sua dianteira se destaca pelas enormes entradas de ar do pára-choque - com spoilers integrados – divididas pela destacada e característica grade da marca alemã. Os faróis têm desenho ligeiramente diferente dos do A4 e são a maior identidade do carro. Com iluminação diurna por LEDs, dão destaque ao A5.

O eixo dianteiro deslocado para a frente também reforça a esportividade do A5. Os pára-lamas têm linhas musculosas e vincos percorrem as laterais. A linha de cintura é alta e o teto baixo tem caída suave, como todo cupê. A traseira usa lanternas também iluminadas por LEDs e de linhas quase semelhantes as do A4. O pára-choque tem duas saídas de escapamento integradas.

Audi A5 - foto André Larangeira - Divulgação

Audi A5 - foto André Larangeira - Divulgação
As belas rodas aro 19 vêm em conjunto com o Audi Drive Select

O interior segue a escola alemã. Sóbrio, mistura couro e alumínio. Os passageiros ficam em posição baixa e são acomodados em bancos com grandes apoios laterais. Os instrumentos são voltados para o motorista, que se sente vestido pelo carro. Atrás, dois adultos até viajam, mas o ideal mesmo é andar só com os dois assentos dianteiros ocupados.

O A5 vem recheado de equipamentos, entre eles o Audi Infotainment, que agrega os comandos de entretenimento, comunicação e navegação (ainda não disponível no Brasil) por meio de uma tela no console central. O sistema de áudio pode receber um conjunto Premium da dinamarquesa Bang & Ofulsen como opcional. São 500 watts de potência, 14 alto-falantes, surround e compensação ativa de ruídos externos.

Audi A5 - foto André Larangeira - Divulgação

Audi A5 - foto André Larangeira - Divulgação
Os LEDs estão nos inconfundíveis faróis e lanternas do A5

Por aqui a Audi escolheu o motor 3.2 V6 para empurrar o A5. Com tração dianteira, passa 269 cv (cavalos) e 33,7 kgfm de torque máximo por meio de um câmbio automático Multitronic de oito velocidades, com opção de trocas seqüenciais pela alavanca ou por borboletas atrás do volante.

O propulsor é alimentado por injeção direta de gasolina (FSI) e traz o sistema Valveshift, que faz variar em dois níveis a abertura das válvulas, melhorando a eficiência e diminuindo o consumo. De acordo com a Audi, são 6,5 segundos para acelerar de 0 a 100/km/h e a velocidade máxima é de 250 km/h (limitada eletronicamente).

A3 e Q7 com novidades

Outras novidades que a Audi começa a vender no país são a linha 2009 do A3 e o Q7 com motor 3.6 V6. O A3 chega até 10% mais barato e traz uma leve reestilização, que inclui novos pára-choques e grade, faróis de desenho novo e iluminação diurna por LEDs, além de lanternas com nova divisão interna e também equipadas com LEDs. O interior tem painel retocado e novas superfícies metálicas e computador de bordo.

Audi A5 - foto André Larangeira - Divulgação

Audi A5 - foto André Larangeira - Divulgação
O painel é sóbrio; computador de bordo fica entre mostradores

Na mecânica a única novidade é a direção eletromecânica, que usa um motor elétrico para ajudar as rodas a voltarem à posição reta depois de uma curva. Os motores não mudam. O A3 continua a ser oferecido com motor 1.6 de 102 cavalos, 15 kgfm de torque máximo e câmbio mecânico de cinco marchas, bem como o 2.0 Turbo, com injeção direta de gasolina, 200 cv e 28,5 kgfm de torque máximo. Com ele, o câmbio pode ser manual de seis marchas ou automatizado S-Tronic, com trocas automáticas ou seqüenciais e duas embreagens.

O utilitário esportivo Q7 ganha uma nova versão de entrada, com motor 3.6 V6. Até então, o modelo dispunha somente de motorização 4.2 V8 (oito cilindros, em "V"). O Q7 V6 chega ao Brasil por R$ 278 mil, preço R$ 71 mil menor do que o do V8, mas mantém o bom nível de equipamentos. 

Ele usa o mesmo motor do Porsche Cayenne. O 3.6 V6 (seis cilindros, em "V") desenvolve 284 cv de potência e 36,7 kgfm de torque máximo entre 2.500 e 5.000 rpm. Usa injeção direta de gasolina (FSI) e mantém o câmbio Tiptronic de seis velocidades e a tração integral Quattro do "irmão" mais potente.


Audi A5 - foto André Larangeira - Divulgação

Audi A5 - foto André Larangeira - Divulgação
Câmbio de oito marchas e motor 3.2 V6 de 269 cavalos

Entre os equipamentos, rodas de 19 polegadas calçadas em pneus 265/55, câmera traseira para estacionamento, revestimento interno em couro, controle de estabilidade, entre outros. Os opcionais vão do pacote esportivo S-Line ao teto solar panorâmico, passando por suspensão a ar com regulagem, rodas de 20 polegadas e televisão.

Interpress Motor avaliou os novos Audi A5, A3 e Q7 V6 entre as cidades paulistas de Campinas e Limeira. Em seu habitat natural, estradas de asfalto impecável, o cupê se mostrou dócil em baixas velocidades e extremamente confiável em uma tocada mais esportiva.

A estabilidade é elogiável e o conjunto de câmbio e motor tem funcionamento irrepreensível. É daqueles carros que podem ser dirigidos por horas, em velocidades elevadas, sem cansaço nenhum. Fico imaginando o S5, sua variante mais nervosa, com motor 4.2 V8 (oito cilindros, em "V"), de 354 cv.

Vendidos como opcionais, dois sistemas deixam o A5 ainda mais interessante. Um é o Audi Drive Select, que permite escolher três modos de operação: Comfort, Dynamic e Auto. No primeiro, motor, câmbio, suspensão e direção trabalham de forma mais lenta, privilegiando uma condução mais relaxada. O segundo deixa a suspensão mais firme, o motor e o câmbio com respostas mais rápidas e a direção mais direta. Já o Auto é uma mistura dos dois.

Audi A3 - foto Divulgação

Audi A3 - foto Divulgação
O A3 ganhou faróis e lanternas com o novo visual da Audi

O outro sistema é o Adaptive Cruise Control, ou controle cruzeiro adaptativo. Por meio de um radar, o carro mantém a velocidade programada pelo motorista. Até aí, nada de novo. No entanto, ele também freia o A5 caso algum outro veículo entre na sua frente e mantém uma distância segura. Depois, volta sozinho à velocidade inicial. Também é possível determinar a distância para o veículo da frente.

O A3 mantém a boa dirigibilidade que sempre o caracterizou. O 2.0 Turbo, combinado com o câmbio S-Tronic, é divertido. Além de “encher” rápido, o motor é ajudado pelas trocas de marcha rápidas, por meio de borboletas atrás do volante. As duas embreagens permitem que a marcha seguinte a usada já fique engatada, diminuindo o tempo das mudanças. A direção direta e a suspensão firme completam o acertado conjunto.

Audi Q7 - foto André Larangeira - Divulgação

Audi Q7 - foto André Larangeira - Divulgação
O visual é o mesmo do V8, mas o motor do Q7 é um V6

No Q7, a perda 70 cv em relação ao V8 pode ser percebida nas acelerações. Não é, contudo, uma diferença gritante. O motor V6 empurra os 2.205 quilos do jipão com desenvoltura e retoma velocidade muito bem. A Audi promete aceleração de 0 a 100 km/h em 8,5 segundos e 225 km/h de velocidade máxima. Com sua posição de dirigir elevada, excelente visibilidade e espaço interno generoso, o Q7 é um convite a cair na estrada com a família para uma longa viagem.

Depois de andar nos três lançamentos, concluo que o A5 nunca seria "meu segundo" Audi. Ele seria, sim, o carro que usaria todo dia. O segundo? Talvez o Q7, nos fins de semana e durante as férias.

FICHAS TÉCNICAS
Audi A5
Motor
: dianteiro, longitudinal, seis cilindros em "V", 24V, gasolina, 3.123 cm³ (3.2) de cilindrada

Potência: 269 cv a 6.500 rpm

Torque: 33,7 kgfm a 3.250 rpm
Direção: hidráulica, com assistência variável (Servotronic)
Câmbio: automático de oito velocidades
Suspensão: dianteira independente, com braços sobrepostos, subchassi e barra estabilizadora; traseira multibraço, com barra estabilizadora.
Freios: a disco nas quatro rodas, com antitravamento (ABS)

Dimensões: 4,62 m de comprimento; 1,85 m de largura; 1,37 m de altura; 2,75 m de entreeixos

Peso: a partir de 1570 kg
Tanque: 65 litros
Porta-malas: 455 litros
Preço: R$ 254.500

Audi A3 Sportback
Motor: dianteiro, transversal, quatro cilindros em linha, 8V (1.6), 16V,  turbocompressor e intercooler (2.0), gasolina, 1.595 cm³ (1.6) e 1.984 cm³ (2.0) de cilindrada
Potência: 100 cv a 5.600 rpm (1.6) e 200 cv a 5.100 rpm (2.0)
Torque
: 15,1 kgfm a 3.800 rpm (1.6) e 28,5 kgfm entre 1.800 e 5.800 rpm (2.0)
Direção: elétrica
Câmbio: manual de cinco marchas (1.6) ou seis marchas (2.0), manual automatizado S-Tronic de seis velocidades (2.0)
Suspensão: dianteira independente, tipo McPherson, com amortecedores pressurizados e barra estabilizadora; traseira multibraço, com barra estabilizadora
Freios: a disco nas quatro rodas, com antitravamento (ABS)
Dimensões: 4,28 m de comprimento; 1,76 m de largura; 1,42 m de altura; 2,57 m de entreeixos
Peso: 1420 kg (1.6), 1540 kg (2.0 manual) e 1585 kg (2.0 S-Tronic)
Porta-malas: 370 litros
Preço: R$ 102.700 (1.6), R$ 125.600 (2.0 manual) e R$ 132.600 (2.0 S-Tronic)

Audi Q7 V6
Motor
: dianteiro, longitudinal, seis cilindros em "V", 24V, gasolina, 3.598 cm³ (3.6) de cilindrada
Potência: 284 cv a 6.200 rpm
Torque: 36,7 kgfm entre 2.500 e 5.000 rpm
Direção: hidráulica
Câmbio: automático de seis velocidades
Suspensão: dianteira e traseira independente, com braços sobrepostos
Freios: a disco nas quatro rodas, com antitravamento (ABS)
Dimensões: 5,08 m de comprimento; 1,98 m de largura; 1,73 m de altura; 3,00 m de entreeixos
Peso: 2.205 kg
Tanque: 100 litros
Porta-malas: 775 litros
Preço: R$ 278 mil


voltar
Carpress | Shopping | Expediente
© 2006-2014 Carpress - Todos os direitos reservados
É proibida a reprodução de conteúdo deste site em qualquer meio
de comunicação, impresso ou eletrônico, sem autorização por escrito
Desenvolvido por AD&R Web