Baixe o aplicativo  INTERPRESS MOTOR para seu iPhone / iPad Adicionar aos favoritos Recomende a um amigo Faça deste site sua página inicial
Lançamento
Opinião
Reportagem
Galeria de fotos
Notícias
Blog do Luís Perez
Manutenção
Vídeos
Caminhões e ônibus



Papel de parede
Jogos

Shopping









LANÇAMENTO
27/03/2008 - 17h35 Bookmark and Share
AVALIAÇÃO
Corolla aposta em detalhes para retomar liderança
Motor é o mesmo do modelo anterior, mas carro ganhou inovações tecnológicas
por LUÍS PEREZ, do Guarujá (SP)

A Toyota lança no Brasil o novo Corolla – o carro está na décima geração, a terceira fabricada no país – em versões mais completas, design mais arrojado (como o modelo que roda na Europa), toque esportivo e novas tecnologias. Com o cacife de ser o modelo mais vendido no mundo (33 milhões de unidades desde que foi lançado, em 1966), o renovado Corolla chega nesta sexta-feira (28) às 122 concessionárias da marca no país com a missão nada modesta de retomar a liderança perdida para o Honda Civic no ano passado.

Disponível nas versões XLi (entrada), XEi (intermediária) e SE-G (top de linha), todas equipadas com motor 1.8 16V de com potência entre 132 cv (cavalos) quando abastecido com gasolina e 136 cv (com álcool), o modelo demonstrou um avanço significativo na avaliação realizada por Interpress Motor em estradas e trechos urbanos do litoral sul paulista, próximo ao Guarujá (SP), onde foi realizada a convenção de lançamento.

Novo Toyota Corolla - foto Divulgação
Design chega mais arrojado e esportivo, como no Corolla europeu

Galeria de fotos Confira mais imagens na galeria de fotos.

Entre as qualidades demonstradas, estão o bom acabamento (dirigimos um exemplar automático da versão XLi), o volante de três raios com um quê esportivo, a facilidade no manuseio da direção, que agora tem assistência elétrica, o nível de ruído extremamente baixo, além da boa oferta de porta-objetos úteis.

Os senões ficam por conta de observações um pouco subjetivas. Exemplo: não agrada muito o acabamento todo em cinza e a trava interna da porta ser em preto. Ou a falta de luz de cortesia no espelho atrás do pára-sol na unidade avaliada, item que em alguns automóveis são de série mesmo em versões mais básicas.

De resto, o modelo chega muito bem equipado. Entre as novidades, está o assoalho plano (o que acomoda melhor o terceiro elemento do banco traseiro), que o Civic adotou há oito anos. Mas quem pensa que o Corolla escolheu as mesmas armas para combater o sedã da Honda está completamente enganado.

Novo Toyota Corolla - foto Divulgação
Traseira trouxe mudanças mais discretas; porta-malas tem 470 litros

Nada de painel de dois andares, com mostradores digitais. O Corolla traz mostradores analógicos. Os engenheiros também apostaram que o consumidor desse tipo de veículo quer, sim, mais espaço para bagagem, aumentando o porta-malas de 437 litros para 470 litros (no Civic são só 340 litros).

Para aumentar a comodidade, o veículo ficou mais largo (55 milímetros) e mais comprido (10 mm), aumentando o habitáculo. A distância entreeixos (um dos principais balizadores de espaço interno), no entanto, continua em 2,60 metros. A versão XLi vem com dois airbags, enquanto as XEi e SE-G, com quatro, as automáticas trazem a transmissão inteligente Super ECT (sigla em inglês para controle eletrônico de transmissão), acelerador eletrônico, além de ter disponíveis faróis de xenônio, sensor de estacionamento e ar-condicionado digital com controle de temperatura individuais para motorista e passageiro (nas versões mais tops).

Motivo de controvérsia durante a convenção de lançamento, a Toyota esclarece que a plataforma do novo Corolla foi de fato renovada. "É uma plataforma nova. Com base na antiga, com certeza, mas nova. Afinal, para tudo é preciso haver uma referência. Mas em termos de peças mudou praticamente tudo. A coluna 'A' inclusive está mais avançada", afirma Daniel Suzuki, gerente de engenharia da marca.

Novo Toyota Corolla - foto Divulgação
Painel da versão de entrada, a XLi; conforto interno melhorou

De fato, durante o test-drive, foi possível perceber uma melhora na posição de dirigir, com efeitos evidentes sobre a visibilidade do motorista. Segundo o engenheiro, a sensação de que o carro está mais "esperto" vem de inúmeros detalhes que foram aperfeiçoados. Exemplo disso é que a direção elétrica não rouba mais potência do motor para ajudar na assistência, o que ocorre com modelos com direção hidráulica.

Mas não teria sido um erro lançar a versão flex, em maio de 2007, para agora, menos de um ano depois, trazer a nova geração? "O flex foi uma necessidade do mercado", diz Suzuki. Não foi desta vez, porém, que o conhecido reservatório de partida a frio que leva gasolina para ajudar nos dias de temperatura mais baixa será aposentado. "Os sistemas que existem não são ainda totalmente confiáveis para a Toyota", assevera.

Contribui para o rodar macio e silencioso do Corolla a suspensão dianteira com barra estabilizadora, que passou por ajustes, como redimensionamento de molas, amortecedores e bandeja inferior. A traseira, também com barra estabilizadora, é semi-independente com buchas de correção angular, em material mais elástico em relação ao modelo anterior, o que proporciona mais estabilidade.

Tem até computador de bordo

Amigável é a localização dos principais comandos, como os do som e do ar-condicionado, bem como os dos vidros e travas das portas. O painel de instrumentos tem duas parábolas (como em alguns modelos mais esportivos), com informações em dois mostradores. Nele também há disponível a marcha selecionada (nas versões automáticas) e informações do computador de bordo, que traz dados como relógio, além de dados como consumo médio, consumo instantâneo, autonomia e velocidade média.

Na versão mais básica já há ar-condicionado, trio (travas, espelhos externos e vidros) elétrico, apoio de braço central deslizante, volante de três raios com regulagem de altura e profundidade e comandos internos para abertura do tanque e do porta-malas. São sete as opções de cor: prata Supernova, preto Eclipse, bege Aurora, cinza Galáctico, branco Polar (versões XLi e XEi), verde Boreal e azul Orion (estas duas ultimas só a partir de maio).

Os preços sugeridos são: R$ 62 mil (XLi manual), R$ 66 mil (XLi automático), R$ 68.500 (XEi manual sem banco de couro), R$ 70.400 (XEi manual com banco de couro), R$ 72.500 (XEi automático sem banco de couro), R$ 74.500 (XEi automático com banco de couro) e R$ 87.300 (SE-G automático, que não tem versão manual e já traz banco de couro). Há ainda uma versão XLi com câmbio automático e motor 1.6 16V a gasolina, com 110 cv (cavalos), para deficientes físicos, que têm limitação para aquisição de veículos com isenção de impostos – válidos apenas para carros de até R$ 60 mil.

Demonstração da boa aceitação do Corolla no mercado é que, mesmo prestes a mudar, o modelo antigo foi vice-líder do segmento em fevereiro – o Civic vendeu 4.895 unidades, contra 2.037 do Corolla e 1.878 do Chevrolet Vectra. No acumulado do ano, até o final da primeira quinzena de março, a Honda emplacou 12.421 Civic, contra 5.356 Vectra e 4.965 Corolla. Compreensível, pois a linha estava mudando, e o carro deixou de ser fabricado. Pelos números, não será difícil retomar a vice-liderança e, logo em seguida, morder os calcanhares do líder. Pelo menos são veículos bem distintos, atendendo a consumidores com gostos diferentes. Ou, como diz o "teaser" de lançamento, para fazer o mundo acordar diferente.

O jornalista Luís Perez viajou a convite da Toyota

FICHA TÉCNICA

Toyota Corolla
Motor: dianteiro, transversal, quatro cilindros em linha, bicombustível, 16 válvulas, 1.794 cm³ de cilindrada

Potência: 132 cv (gasolina) a 136 cv (álcool) a 6.000 rpm 

Torque: 17,3 kgfm (gasolina) a 17,7 kgfm (álcool) a 4.200 rpm
Câmbio: manual de cinco velocidades ou utomático de quatro velocidades

Suspensão: dianteira independente McPherson com barra estabilizadora; traseira semi-independente, com eixo de torção e barra estabilizadora

Freios: a disco nas quatro rodas
Dimensões: 4,54 m de comprimento, 1,76 m de largura, 1,48 m de altura e 2,60 m de entreeixos
Peso: 1.210 kg a 1.260 kg 

Tanque: 60 litros

Porta-malas: 470 litros

Preços: R$ 62 mil (XLi manual), R$ 66 mil (XLi automático), R$ 68.500 (XEi manual sem banco de couro), R$ 70.400 (XEi manual com banco de couro), R$ 72.500 (XEi automático sem banco de couro), R$ 74.500 (XEi automático com banco de couro) e R$ 87.300 (SE-G automático, que não tem versão manual e já traz banco de couro)


voltar
Carpress | Shopping | Expediente
© 2006-2014 Carpress - Todos os direitos reservados
É proibida a reprodução de conteúdo deste site em qualquer meio
de comunicação, impresso ou eletrônico, sem autorização por escrito
Desenvolvido por AD&R Web