Shopping Interpress
OPINIO
LANAMENTO
REPORTAGEM
BUSCA
FALE CONOSCO
BOLETIM
SHOPPING
INTERBLOG
NOTCIAS








LANÇAMENTO
PICAPE MÉDIA
Ford traz Ranger com preparação "oficial" para kit GNV
Trunfo é modesta perda de potência, de 150 cv para 133 cv com gás natural veicular
por ALBERTO POLO JÚNIOR, de Itatiba (SP)

Alberto Polo Júnior
A Ford Ranger 2.3 a gasolina, que traz agora preparação para GNV de fábrica

A Ford passa a vender, a partir de fevereiro de 2007, a picape Ranger a gasolina com preparação para receber kit de gás natural veicular (GNV). A montadora quer se aproveitar do aumento da procura pela versão a gasolina (as vendas subiram de cerca de 49 unidades mensais em 2005 para 433 somente em novembro último), bem como das cerca de 200 mil conversões realizadas por ano no Brasil.

“A Ford está atenta à demanda do consumidor por combustíveis alternativos e foi buscar para a Ranger, a possibilidade de conversão para o sistema a gás mais avançado do mercado, de quinta geração, com injeção multiponto sequencial. É um sistema confiável e eficiente, que mantém o conhecido padrão de dirigibilidade da picape, com baixo custo de manutenção”, afirma Wilson Vasconcellos Filho, gerente de marketing de picapes da Ford.


Alberto Polo Júnior
Picape média acomoda cilindro de 25 m³ na caçamba, próximo à cabine


Para isso a empresa se juntou à White Martins - BRC – responsável pelo kit – e promoveu algumas modificações no motor 2.3 16V para que ele trabalhasse com o GNV. O cabeçote foi revisto e teve o fluxo de ar para os cilindros aumentado, e as válvulas estão mais resistentes. Desta forma, a Ford afirma que a durabilidade do propulsor com o GNV é semelhante ao da gasolina.


O kit GNV também é novo – de quinta geração – e comandado por um módulo eletrônico de gás que atua em conjunto com o módulo original do motor. A partida é sempre feita com gasolina e, mesmo que o botão no painel esteja selecionado para o uso do gás, e passagem acontece somente quando o motor atinge a temperatura ideal de funcionamento.


Alberto Polo Júnior
Por dentro o painel de instrumentos é praticamente o mesmo da versão...


Acima do botão de seleção, localizado no console central, quatro LEDs mostram a quantidade de GNV contida no cilindro de 25 m³ instalado na caçamba. Acesos indicam uso do combustível gasoso. Apagados revelam que a gasolina está sendo queimada. Caso o motorista deseje trocar de combustível, a mudança é feita de forma fracionada, com um bico injetor de cada vez.


Com o GNV o motor Duratec 2.3 16V perde cerca de 11%  de potência. Desenvolve 133 cv (cavalos) a 5.250 rpm e 19,7 kgmf de torque (força) a 3.750 rpm. Com gasolina são 150 cv e 22,2 kgmf às mesmas rotações. O consumo urbano declarado pela Ford é bom para o porte do veículo: 8,9 km/l com gasolina e 9 km/m³ com GNV. A aceleração de 0 a 100 km/h acontece em 14,5 e 15,3 segundos, respectivamente. A velocidade máxima é a mesma e limitada a 147 km/h.


Divulgação
...a gasolina, com exceção do botão que aciona o gás e mostra sua carga

A mudança entre os dois combustíveis é feita sem trancos, e a perda de desempenho é quase imperceptível, como Interpress Motor pôde avaliar no percurso de 150 quilômetros, entre as cidades de Campinas e Itatiba, interior paulista. Com qualquer um dos combustíveis, o desempenho da Ranger 2.3 é contido, em especial na versão com cabine dupla. Já a versão cabine simples tem rodar um pouco mais desconfortável na terra.

No mais é a velha Ranger que passou por reestilização e recebeu melhorias mecânicas – entre elas a suspensão – em 2004. A posição de dirigir é boa, e o acabamento, suficiente. A caçamba carece de mais espaço nos dois tipos de cabine. É rasa e curta e, com o cilindro de GNV instalado, fica ainda mais limitada.


Divulgação
O kit desenvolvido pela Ford e pela White Martins - BRC custa R$ 5.700


O kit custa R$ 5.700 e pode ser solicitado por intermédio de uma central de atendimento específica. O consumidor então é encaminhado a uma oficina credenciada pelo fabricante do sistema. A conversão demora de quatro a cinco dias e a garantia de dois anos ou 50 mil quilômetros é mantida pela Ford. As Ranger com ano de fabricação 2007 que forem convertidas depois de usadas também terão direito à garantia da montadora.

 

Na versão de acabamento XLS, a Ranger 2.3 16V sai de fábrica com ar-condicionado, direção hidráulica, acionamento dos vidros, espelhos retrovisores e trava com controle remoto, volante com ajuste de altura, espelho de cortesia para o passageiro, preparação para som, pára-choques e grade na cor do veículo, entre outros. Custa R$ 48.290 com cabine simples (a única cabine simples movida a gasolina no mercado) e R$ 57.830 com cabine dupla.


Alberto Polo Júnior
O motor da versão: potência cai de 150 cv (cavalos) para 133 cv com gás


Na linha 2007 a novidade é a versão XLT para o motor a gasolina. Sempre com cabine dupla, sai por R$ 62.320 e, além dos itens da XLS, adiciona CD player com MP3, bancos individuais, banco do motorista com ajuste de altura e descansa-braço, console central com porta-objetos, acabamento das portas com inserto em tecido, pára-choques e grade do radiador cromados, farol de neblina, rodas de liga leve de 16, entre outros.

 

Há ainda a Ranger XL cabine dupla, vendida somente para frotistas e órgãos do governo. Pelos R$ 51.530 pedidos pela Ford, oferece direção hidráulica, aquecedor, conta-giros, acendedor de cigarros, porta-luvas iluminado, banco dianteiro 1/3 e 2/3 revestido de tecido com descansa-braço.

A intenção da Ford é converter cerca de 20% do total de Ranger 2.3 16V vendidas por mês, o que dá cerca de 90 veículos. Com garantia de fábrica, kit de GNV eficiente, consumo bom, porém desempenho modesto, a Ranger a gasolina pode ser uma boa opção para quem precisa de um veículo robusto, porém faz questão de economizar e não tem pressa.


FICHA TÉCNICA

Ranger 2.3 16V GNV
Motor: dianteiro, longitudinal,

quatro cilindros em linha,

16 válvulas, 2.260 cm³ de cilindrada

Potência: 133 cv (GNV) e 150 cv a 5.250 rpm (gasolina)

Torque: 19,7 kgfm (GNV) e 22,2 kgfm (gasolina) a 3.750 rpm

Câmbio: manual, de cinco velocidades com tração traseira

Suspensão: dianteira independente com barra de torção, amortecedores pressurizados a gás e barra estabilizadora; traseira tipo eixo semiflutuante, molas semi-elípticas com amortecedores hidráulicos de dupla-ação

Freios: a disco na dianteira e tambor na traseira

Dimensões: 4,81 m de comprimento, 1,76 m de altura; 2,02 de largura e 2,83 m de entreeixos (cabine simples); 5,14 m de comprimento, 1,82 m de altura; 2,02 de largura e 3,19 m de entreeixos (cabine dupla)

Tanque: 60 litros (cabine simples) e 75 (cabine dupla)
Caçamba: 1.052 litros e 770 kg
(cabine simples) e 840 litros e
720 kg (cabine dupla)

Preços picape: R$ 48.290 (XLS cabine simples), R$ 51.530 (XL cabine dupla),
R$ 57.830 (XLS cabine dupla) e R$ 62.320 (XLT cabine dupla)

Preço do kit GNV: R$ 5.700,00

 

 

 

































Publicado em 21/12/2006

voltar
© Carpress - Todos os direitos reservados
proibida a reproduo de contedo deste site em qualquer meio de comunicao, impresso ou eletrnico, sem autorizao por escrito
Desenvolvido por ADR Web